quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Diário de Bordo

23 de janeiro de 2009.
Essa noite aconteceu algo inesperado. Por volta das duas da manhã adivinha quem veio aqui em casa? Isso!!! Exatamente, Charles. Estava dormindo e ele ficou jogando pedras na minha janela. Pensei que estava sonhando, ou eram os escravos (fantasmas). Sei lá! Vai saber! Fiquei com medo, muito medo de levantar, mas curiosa ao mesmo tempo. O quê que aquele louco veio fazer aqui?
Abri a janela toda sonolenta e o vi lá em baixo com aquela cara deslavada. Pediu-me pra descer. Mais descer como? Se eu abrisse a porta da frente minha mãe me mataria. Apesar de que se eu tivesse descido e saído pela porta meus pais nem notariam. Eles estão dormindo em quartos diferentes. Minha mãe ficou no quarto dela e meu pai no do Robert.
Desci pela escada de lado, como é um sobrado, fizeram uma escada por fora em caso de emergência. Essa casa de vez em quando tem indícios de incêndio provocados do nada, dizem que são os escravos (fantasmas).
 [Resumo breve da história] As histórias que contam que aqui antigamente, antes do meu pai comprar era uma casa abandonada, a casa pertencia séculos atrás a Senhores de Engenho. Aqui viviam escravos que em certa noite se rebelaram, pelos castigos que lhe eram dados pelo capataz da fazenda e mataram e esquartejaram os seus senhores. Às vezes temos a impressão de sermos observados, ou ouvirmos correntes arrastando pelos corredores. Quando éramos crianças ouvíamos e corríamos para a cama dos meus pais, hoje às vezes eu ouço e escondo de baixo do cobertor. É meio estranho, mais já acostumei agora quem dorme comigo é Sam, ela morre de medo. Tem vez que ela me diz que esta vendo eles. Mais não sei se acredito. Acredito mais finjo não ouvir pra não assusta - lá. Eu morro de medo. Quando meu avô era vivo ele mandou benzer a casa mais acho que não adiantou muita coisa não.
Desci pra conversar com Charles. Ele veio aqui só pra me ver (achei lindo, mais não falei) e ficamos conversando até amanhecer, fiquei superrr sem graça. Conversamos sobre tudo. Lembramos da nossa infância, época que ele era feio e eu uma pirralha chata e metida. Acho que devo ter melhorado um pouco, pelo menos espero.
 Conversando com ele até me esqueci do Dean, nem lembrei dele. Só não sei se isso é bom ou ruim. Ele me disse que hoje voltaria mais cedo pra nos vermos, vou esperar, se não vir não vou achar ruim não. Foi bom, muito bom conversar com ele, mais estou muito envergonhada.
 Minha mão fica suada, fico com as pernas bambas, coração acelera, quase cai descendo a escada. Ele me pegou no colo. Nossa quase dei um troço. Ele está muito lindo. Se a cidade não fosse tão longe eu animava de dar um volta com ele, ver gente da nossa idade, pessoas novas, quem sabe até teria uma festa pra irmos. Eu quero dançar. E ainda continuo com ODIO do Robert, mamãe ligou e ele falou que os meninos da faculdade dormiram lá com ele, deve ter sido À BAGUNÇA. Como queria estar lá!
Charles está muito mudado, agora está agradável conversar com ele, muito interessante, agora tem um ar de mistério. Gostei muito, muito disso.
Convidei Brenda pra passar o dia aqui comigo. E ela veio, mais de bagagem veio Charles. Nossa! O que será isso tudo que sinto por ele? Banhamos de piscina. Julia, a cozinheira, preparou um almoço que estava uma delicia. E ficamos o restante da tarde no lago. Não banhando, mais curtindo a brisa e a sombra das árvores e relembrando novamente nossa infância.
Quando eu era mais nova não suportava Brenda, depois de muito tempo que comecei gostar dela, ela é muito madura, sabe o que quer, é muito bom conversar com ela. Acho que Charles deve estar se inspirando nela, sua mãe faleceu quando ele era muito novo, acho que aos três anos de idade, dizem que foi uma doença que chegou do nada e a levou. Nem mesmo os médicos souberam falar o que era. Desde então, quem foi mãe de Charles foi Brenda, sempre muito séria, teve que deixar sua infância pra cuidar do irmão, admiro muito ela, e ainda bem que começamos a ser mais próximas, ela é um amor de pessoa.
Ficamos mais próximas quando Charles deu Pneumonia, há alguns anos, os médicos quase o desenganaram mais ainda bem que ele ficou bem. Nesse período fiquei ao lado deles, indo lá no hospital vê-los, desde então somos próximas, não amigas, amigass como eu e Ruth, mais somos “amigas”. Diferença de idade é pouca, acho que ela tem a mesma idade de Robert, 25 anos, mais não tenho certeza, não lembro. Idade também não faz diferença não. Acho que se Robert estivesse aqui espantaria da mesma forma que eu, eles estão muito mudados, brincávamos os quatros e o restante das crianças que moram aqui perto. Na minha infância passávamos muito tempo aqui.
Agora Brenda está linda, loira, olhos castanhos, está com corpão, sei o perfil de mulher que meu irmão gosta e eu acho que ele ia gostar muito de vê-la.
Hoje o dia foi muito bom, muito mesmo, estou começando há não me arrepender de ter vindo.

Olá pessoas.. Segue mais um capitulo.. Só pra constar é uma fic..rrsrs
Não é real..rsrs
Comentem o que estão gostando..rsrs
Bju bju
E obrigada pelas visitas..
=*

3 comentários:

''Tay' disse...

AAAAAH chego na parte que eu adorei *-*

bjus =*

Juuh Nascimento disse...

Huum eu tbm gostei.. e esse Charle hein?!!

rs,s


Bjss

Drizana Ribeiro disse...

Esse Charles tá que tá, hein?
Quero ver o que aconteçe!
bjs, Dri!